Adicionar ao orçamento

Ainda sem produtos.

Categorias

Fabricantes

Trabalhe na Cinco TIVisite o nosso Blog



Como escolher um no-break?

Quando se fala em estrutura de tecnologia da informação para empresas, segurança é a palavra-chave para todos os equipamentos. E é justamente por isso que os no-breaks tornam-se peças fundamentais para assegurar que você possa gerenciar o seu negócio com toda a tranquilidade e com muita eficiência. Mas você sabe como escolher um no-break para a sua companhia? Confira as nossas dicas e tire todas as suas dúvidas.

Quais as vantagens de ter um no-break?

O no-break é, nada mais, nada menos, que o aparelho que vai garantir a segurança dos seus dispositivos sempre que a energia elétrica for interrompida. Essa proteção funciona da seguinte forma: quando há uma falha no serviço de eletricidade - devido a um temporal ou uma sobrecarga, por exemplo -, o no-break detecta a falta de energia e aciona a sua bateria interna. Essa bateria vai permitir que os dispositivos continuem ligados por tempo suficiente para que os usuários possam salvar ou encerrar algum processo e, assim, desligar o aparelho corretamente.

Essa proteção é utilizada, principalmente, em computadores, mas também pode ser aplicada em outros dispositivos eletrônicos, como roteadores e modens. Dessa forma, além de garantir que os seus aparelhos não sofram danos com a interrupção abrupta de energia elétrica, o no-break possibilita que você siga utilizando-os por um determinado tempo – que varia de acordo com o modelo e a sua autonomia.

Por falar nisso, os no-breaks funcionam basicamente com três modelos: os stand-by (offline), os de linha-interativa e os online. O que muda entre eles é a forma com que operam quando há uma queda de energia. Confira mais sobre cada modelo:

No-break Stand-by

Este modelo de no-break, que é o mais comum e barato do mercado, tem como característica o funcionamento offline. De forma geral, ele fica carregando sua bateria enquanto a fonte de energia elétrica está funcionando normalmente e só é acionado quando há uma queda brusca nessa fonte – nesse caso, então, o no-break detecta a falta de corrente elétrica e aciona a energia que estava armazenando. O ponto negativo sobre esse aparelho é que ele demora um pouco para fazer essa detecção (cerca de 16 ms), o que faz com que não seja o mais indicado para dispositivos muito sensíveis.

No-break de Linha-Interativa

O modelo de linha-interativa, ou line-interactive, é bem parecido com o offline, mas com uma importante diferença: ele regula a tensão antes de repassá-la para os aparelhos protegidos, aumentando ou diminuindo a energia conforme necessário. Além disso, seu tempo de resposta quando há uma queda de eletricidade é mais rápido, trocando para o modo bateria entre 3 a 8 ms. Essa é uma característica que faz com que seu desempenho seja mais vantajoso em comparação ao modelo anterior, podendo ser utilizado para a maioria dos aparelhos eletrônicos, inclusive aqueles mais sensíveis à falta de energia.

No-break Online

Já os modelos online são os que oferecem a melhor proteção e energia do mercado – o que faz com que, consequentemente, tenha que ser distinado um investimento maior a eles. A diferença deste aparelho para os outros é fundamental: ele alimenta constantemente os dispositivos conectados a ele, fornecendo uma energia mais regulada e, portanto, praticamente livre de distúrbios. Isso faz com que a proteção seja constante, uma vez que alterações na eletricidade não serão percebidas pelos eletrônicos – por isso, é ideal para empresas que precisam rodar aparelhos 24h por dia.

Mas, afinal, o que mais você deve levar em consideração na hora da compra? Além dessas informações que já fornecemos acima, é bastante importante ter atenção à capacidade do no-break. De forma geral, para saber se um no-break atenderá à sua necessidade, basta fazer um levantamento da quantos Voltampere (VA) o equipamento precisará suportar, adicionando uma margem de 30% para futuros crescimentos e atualizações. Com esse dado em mãos, procure um no-break com as especificações adequadas – por exemplo, o ideal é que para cada 1KVA você consiga conectar 4 estações de trabalho.


Tire outras dúvidas na FAQ: